POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA A PREVENÇÃO DE COMORBIDADES E DOENÇAS CARDIOVASCULARES

  • Elisabeth Almeida Figueiredo Centro Universitário Augusto Motta - UNISUAM
  • Daniella Cavalcante Antunes Centro Universitário Augusto Motta - UNISUAM
  • Maria Geralda de Miranda Centro Universitário Augusto Motta

Resumo

A obesidade tornou-se um dos mais expressivos problemas de saúde pública no mundo. O excesso de peso, geralmente, não é abordado, adequadamente, na infância e na adolescência e, com o passar do tempo, outras doenças se instalam ou se intensificam, são as comorbidades como diabetes mellitus, hipertensão arterial, dentre outras e as doenças cardiovasculares. Estima-se que, em 2015, 17,7 milhões de pessoas morreram por doenças cardiovasculares à nível global. Este artigo tem por objetivo levar à criação de políticas públicas de educação em saúde, com atendimento escolar específico e devido encaminhamento dos alunos portadores de obesidade às unidades de saúde. A educação alimentar, com mudança de hábitos e a atividade física regular devem ser estimuladas, como medidas preventivas e corretivas, da obesidade e de doenças cardiovasculares na fase precoce da vida.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

http://lattes.cnpq.br/3334260916931163

Mestranda do Programa de Pós-graduação Profissional em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta – UNISUAM.

Graduada em Segurança do Trabalho pela Universidade Estácio de Sá.

Graduada em Nutrição pela UFRJ.

Pós-graduada em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável pela UNINTER/PR.

Pós-graduada em Saneamento Ambiental pelo Centro universitário Leonardo da Vinci/SC.

MBA Executivo em Negócios Financeiros pela PUC/RJ.

##submission.authorWithAffiliation##

http://lattes.cnpq.br/8607964695403047

Mestranda do Programa de Pós-graduação Profissional em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta – UNISUAM.

Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Estácio de Sá.

Pós-graduada em Psicomotricidade pela Universidade Estácio de Sá.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Disponível em: . Acesso em 18 out. 2018.

BIDDLE S.J.; BENGOECHEA E. G.; WIESNER G. Sedentary Behaviour and Adiposity in Youth: A Systematic Review of Reviews and Analysis of Causality. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity. 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.

______. Decreto nº 6.425, de 4 de abril de 2008. Dispõe sobre o censo anual da educação. Disponível em:. Acesso em: 05 dez. 2018.

______. Projeto de Lei da Câmara nº 102, de 2017. Disponível em: . Acesso em: 2 dez. 2018.

______. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Disponível em: < http://www. planalto. gov. br/ccivil_03/leis/l8069.htm>. Acesso em: 05 dez. 2018.

______. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm> Acesso em: 08 dez. 2018.

______. Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas – SISNAD. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_ 03/leis/l9394.htm> Acesso em: 08 dez. 2018.

______. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar. Disponível em:. Acesso em: 10 nov. 2018.

______. Lei nº 12.796, de 04 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/ L12796.htm >. Acesso em: 23 nov. 2018.

______. Lei nº 13.666, de 16 de maio de 2018. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para incluir o tema transversal da educação alimentar e nutricional no currículo escolar. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/cciviL_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/ L13666. htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.

______. Ministério da Educação – INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2017 - Notas estatísticas. Brasília/DF, 2018, Disponível em: < http://download.inep.gov.br/educacao _basica/censo _escolar/ notas_ estatisticas/2018/notas_estatisticas_Censo_Escolar_2017.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2018.

______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica. Brasília: MEC.2013.Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2018.

______. Ministério da Educação. Resolução FNDE nº 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do PNAE. Disponível em: < https://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional / legislacao/item/4620-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-26,-de-17-de-junho-de-2013>. Acesso em: 5 dez. 2018.

______. Ministério da Justiça. SENAD - Secretaria nacional de Políticas sobre Drogas- Prevenção ao Uso Indevido de Drogas: Capacitação para Conselheiros e |Lideranças Comunitárias. 2011. Disponível em: .
Acesso em: 17 nov. 2018.

______. Ministério da Saúde. Relatório do III Fórum de Monitoramento do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil: Brasília. 2013. Brasília/DF: 2018. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/ bvs/ publicacoes/relatorio_iii_forum_monitoramento_plano.pdf>. Acesso em 11 dez de 2018.

______. Ministério da Saúde. PNPS - Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília/DF. Disponível em: . Acesso em: 11 dez. 2018.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. Cadernos de atenção básica, nº 38. Brasília/DF: Ed. do Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ estrategias_cuidado_doenca_cronica_obesidade_cab38.pdf>. Acesso em: 13 nov. 2018.

CARLUCCI, E.M.S. et al. Obesidade e sedentarismo: fatores de risco para doença cardiovascular.2014. Com. Ciências Saúde. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br /bvs/ artigos/ccs/obesidade_sedentarismo_fatores_risco_cardiovascular.pdf>. Acesso em:
30 nov. 2018.
CARVALHO, E. J. G. Gestão escolar: da centralização à descentralização. Cadernos de Pesquisa em Educação - PPGE/UFES. Vitória, ES. a. 9, v. 18, n. 36. 2012. Disponível em: . Acesso em: 7 dez.2018.

COELHO et al. Associação entre estado nutricional, hábitos alimentares e nível de atividade física em escolares. Jornal da Pediatria, vol. 88, nº 5, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.

COSTA, et al. Adolescentes: comportamento e risco cardiovascular. Jornal Vascular Brasileiro, vol.15 no.3 Porto Alegre. 2017. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2018.

DIAS, P. C. et al. Obesidade e políticas públicas: concepções e estratégias adotadas pelo governo brasileiro. Cadernos de Saúde Pública. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2018.

FREITAS, M. C. S. et al. Escola: lugar de estudar e de comer. Ciência & Saúde Coletiva, 18(4):979-985, 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/csc/v18n4/10.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2018.

ECKEL, R. H. et al. 2013 AHA/ACC Guideline on Lifestyle Management to Reduce Cardiovascular Risk. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2018.

GAGLIARDI, R. J. Hipertensão arterial e AVC. Com Ciência, Campinas, n. 109, 2009. Disponível em . Acesso: em 21 nov. 2018.

IBGE/PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016-2017. IBGE, 2018. p. 1-12. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2018.

INCA. Instituto Nacional do Câncer. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Controle do Tabagismo. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2018.

LUZ, M. T. Saúde. In: Dicionário da Educação profissional em saúde. MS/FIOCRUZ, 2 ed. 2009. Rio de Janeiro: EPSJV Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2018.

MANSUR, A. P., FAVARATO, D. Tendências da Taxa de Mortalidade por Doenças Cardiovasculares no Brasil, 1980-2012. Instituto do Coração (InCor) – HC FMUSP, São Paulo, SP.2016. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abc/v107n1/pt_0066-782X-abc-20160077.pdf>. Acesso em: 4 nov. 2018.

OLIVEIRA, A. M. A.; CERQUEIRA, E. M. M.; SOUZA, J. S. S.; OLIVEIRA A. C. Sobrepeso e obesidade infantil: influência de fatores biológicos e ambientais em Feira de Santana, BA. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 47 n. 2. São Paulo, 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abem/v47n2/a06v47n2.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2018.

OLIVEIRA, C. L. et al. Obesidade e síndrome metabólica na infância e na adolescência. Revista de Nutrição, Campinas, SP. 2004. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ rn/v17n2/ 21136.pdf>. Acesso em: 4 out. 2018.

ONU – Organização das Nações Unidas Brasil – Transformando nosso mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: . Acesso: 10 dez. 2018.

OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde. Doenças cardiovasculares. OMS Brasil. Disponível em: . Acesso em: 7 dez. 2018.

PEREIRA, I. B. Interdisciplinaridade. In: Dicionário da Educação profissional em saúde. MS/FIOCRUZ, 2 ed. 2009. Rio de Janeiro: EPSJV. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2018.

POLSKY, V. A. S. et al. Obesidade: epidemiologia, etiologia e Prevenção. In: Nutrição Moderna de Shils na Saúde e na Doença. 11 ª ed. Barueri/SP: Manoele, 2016.

RANGEL, E. S. S.; BELASCO, A. G. S.; DICCINI, S. Qualidade de vida de pacientes com acidente vascular cerebral em reabilitação. Acta Paulista de Enfermagem. 2013. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2018.

WHELTON, P. K. et al. Sodium, blood pressure, and cardiovascular disease further evidence supporting the American Heart Association sodium reduction recommendations. AHA Journals. 2012. Disponível em: . Acesso em: 7 dez. 2018.

WHO - World Health Organization. International Classification of Diseases 11th Revision. Version: 04/2019. Disponível em: . Acesso em: 11 dez. 2018.
Publicado
2019-07-23
Como Citar
FIGUEIREDO, Elisabeth Almeida; ANTUNES, Daniella Cavalcante; DE MIRANDA, Maria Geralda. POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA A PREVENÇÃO DE COMORBIDADES E DOENÇAS CARDIOVASCULARES. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 23, n. 45, p. 141-160, jul. 2019. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/206>. Acesso em: 17 out. 2019.