VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UMA ANÁLISE HISTÓRICA E LEGISLATIVA DA SOCIEDADE BRASILEIRA

  • Flávia Sanna Leal de Meirelles
  • Rabib Floriano Antonio

Resumo

O presente artigo se propõe a analisar, de forma breve, a trajetória histórica da violência contra a mulher na legislação penal brasileira. Para tanto, além da pesquisa doutrinária sobre o tema, observou-se o texto legislativo das diversas leis penais que trataram sobre o assunto no Brasil ao longo de sua História. Verificou-se que, sendo uma categoria qualitativamente minoritária, a mulher foi objeto de tratamentos discriminatórios no texto legislativo brasileiro, sendo recente a positivação de seus direitos no texto de lei específica – a Lei Maria da Penha. É certo que a previsão legal não basta para solucionar o problema, sendo necessário que a consciência acerca da igualdade entre homens e mulheres penetre, de uma vez por todas, na cultura de toda a sociedade.

Referências

ANGELOZZI, Gilberto Aparecido. História do Direito no Brasil. Rio de Janeiro: Maria Augusta Delgado, 2009.

ARISTOTELES. A Política. São Paulo: Martin Claret. 2006.

BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de direito penal: parte geral 1. 23. ed. rev., ampl. e atual. – São Paulo: Saraiva, 2017.

BRASIL, Decreto-Lei nº 2.848, de 07 de dezembro de 1940 (Código Penal).

BRASIL, Decreto nº 847, de 11 de outubro de 1890 (Código Penal). Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1851-1899/D847.htm>. Acesso em: dezembro de 2018.

BRASIL, Lei de 16 de dezembro de 1830 (Código Criminal). Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lim/LIM-16-12-1830.htm>. Acesso em: dezembro de 2018.

CANELA, Cristina Kelly. O “stuprum per vim” no direito romano. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, 2009.

CARNELUTTI, Francesco, 1879-1965. O problema da pena (tradução Ricardo Pérez Banega). São Paulo: Editora Pillares, 2015.

CASTRO, Flávia Lages. História do Direito, Geral e Brasil. 5a ed., Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

JESUS Jr., Guilhardes. A Condição Da Mulher No Império Romano: noções jurídicas e sociais. In: Anais do Encontro Nacional de produção científica do grupo institucional de pesquisa em direitos humanos e fundamentais, 2, 2011, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus/BA. Disponível em < http://www.redireito.org/wp-content/uploads/2013/05/3-A-CONDI+%C3%A7+%C3%A2O-DA-MULHER-NO-IMP+%C3%ABRIO-ROMANOfalta-a-parte-de-Camila.pdf> acesso em 12 de março de 2018.

KEHL, Maria Rita. Deslocamentos do feminino: a mulher freudiana na passagem para a modernidade. 2. ed. – São Paulo: Boitempo. 2016.

LORRIS, G de; MEUNG J. de. Le roman de la rose. Disponível em . Acesso em: abril de 2018.

MENDES, Soraia da Rosa. Criminologia feminista: novos paradigmas. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

NICOLITT, André; ABDALA, Mayara Nicolitt; SILVA, Laís Damasceno. Violência doméstica: estudos e comentários à Lei Maria da Penha. Belo Horizonte: Editora D’Plácido, 2018.

POVEDA VELASCO, Ignacio Maria. Ordenações do Reino de Portugal, Revista da Faculdade de Direito, São Paulo, vol. 89, p. 11.-67, jan.-dez. 1994.

SOUZA, Artur de Brito Gueiros; JAPIASSÚ, Carlos Eduardo Adriano. Direito penal: volume único. São Paulo: Atlas, 2018.

SOUZA, Regina Cirino Alves Ferreira de. Crimes de Ódio: racismo, feminicídio e homofobia. 1. reimp. – Belo Horizonte: Editora D’Plácido, 2018.

TÔRRES, Moisés Romanazzi. Considerações sobre a condição da mulher na Grécia Clássica (sécs. V e IV a.C.). Disponível em < https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/2226874.pdf> acesso em 12 de março de 2018.

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. As Ordenações Filipinas. Disponível em http://www1.ci.uc.pt/ihti/proj/filipinas/ordenacoes.htm acessado em setembro de 2017.
Publicado
2019-07-23
Como Citar
DE MEIRELLES, Flávia Sanna Leal; ANTONIO, Rabib Floriano. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UMA ANÁLISE HISTÓRICA E LEGISLATIVA DA SOCIEDADE BRASILEIRA. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 23, n. 45, p. 187-203, jul. 2019. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/234>. Acesso em: 08 dez. 2019.