REFLEXÕES SOBRE A NATUREZA JURÍDICA DO PROCESSO PENAL

  • Marcos Afonso Johner PUCRS
  • Ramiro Gomes von Saltiel PUCRS

Resumo

É objeto de investigação do presente artigo o tema da natureza jurídica do processo penal. O objetivo a atingir é demonstrar a importância do tema e do estudo desta disciplina no âmbito da ciência do direito, perpassando pelas obras de seus principais desenvolvedores: Bülow, Goldschmidt e Fazzalari, revisando a bibliografia desses autores e de outros processualistas que escreveram sobre o tema.

Referências

ALONSO, Pedro Aragoneses. Proceso y derecho procesal: introducción. 2. ed. Madrid: EDERSA, 1997.

BADARÓ, Gustavo Henrique. Processo penal. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2015.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Tradução: Paulo M. Oliveira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

BOBBIO, Norberto. Teoria da norma jurídica. 6. ed. São Paulo: EDIPRO, 2016.

BÜLOW, Oskar von. La teoria de las excepciones procesales y los presupuestos procesales. Tradução: Miguel Angel Rosas Lichtstein. Buenos Aires: EJEA, 1964.

COUTINHO, Jacinto Nelson de Miranda. Introdução aos princípios gerais do processo penal brasileiro. Revista da Faculdade de Direito da UFPR, Curitiba, ano 30, n. 30, p. 163-198, 1998.

DIAS, Jorge de Figueiredo. Questões fundamentais de direito penal revisitadas. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

DIAS, Jorge de Figueiredo. Direito penal: parte geral, tomo I : questões fundamentais, a doutrina geral do crime. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

FAZZALARI, Elio. Instituzioni di diritto processuale. Padova: CEDAM, 1975.

GAUER, Ruth Maria Chittó. A fundação da norma: para além da racionalidade histórica. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2001.

GLOECKNER, Ricardo Jacobsen. Inaplicabilidade do conceito de ação ao processo penal. Revista sistema penal e violência, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 47-61, 2011. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/11379/2/Inaplicabilidade_do_Conceito_de_Acao_ao_Processo_Penal.pdf. Acesso em: 22 set. 2019.

GLOECKNER, Ricardo Jacobsen. Uma nova teoria das nulidades: processo penal e instrumentalidade constitucional. 2010. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Federal do Paraná, Paraná, 2010.

GOLDSCHMIDT, James. Principios generales del processo: teoria general del proceso. 2. ed. Buenos Aires: EJEA, 1961.

HAWKING, Stephen. Uma breve história do tempo. Tradução: Cássio de Arantes Leite. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Raça e história. Tradução: Inácia Canelas. Lisboa: Editorial Presença: Martins Fontes, 1952. Disponível em: http://bit.ly/raca-e-historia-c-levi-strauss. Acesso em: 15 nov. 2019.

LOPES JÚNIOR, Aury. Direito processual penal. 12. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

LOPES JÚNIOR, Aury. Fundamentos do processo penal: introdução crítica. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

PRIGOGINE, Ilya. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. Tradução: Roberto Leal Ferreira. São Paulo: UNESP, 1996.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 7. ed. Porto: Afrontamento, 1995.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Manual de processo penal. 9 ed. São Paulo: Saraiva, 2007.
Publicado
2020-04-08
Como Citar
JOHNER, Marcos Afonso; SALTIEL, Ramiro Gomes von. REFLEXÕES SOBRE A NATUREZA JURÍDICA DO PROCESSO PENAL. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 23, n. 47, p. 50-64, abr. 2020. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/322>. Acesso em: 12 jul. 2020.