TRABALHADOR RURAL, SIM, “SINHÔ”: estudo de caso no âmbito de uma vara federal do maranhão

Resumo

A presente pesquisa dissertou sobre o tema Justiça Cidadã, desdobrando-se no eixo Democratização da Justiça. Propôs-se o estudo de caso acerca de uma ação judicial ajuizada em uma Vara Federal do Maranhão. Essa análise caracterizou uma estratégia pedagógica suscitada para propiciar o ensino sobre o auxílio-doença previdenciário, na disciplina de Prática Previdenciária. Aplicou-se a teoria cognitiva de Vygotsky, que focaliza na linguagem para estimular o processo de ensino-aprendizagem. Coadunou-se um diálogo acadêmico (Universidade) e institucional (Justiça Federal) a fim de desvendar a importância da democratização da Justiça, no panorama da Justiça Cidadã. Apreciou-se o auxílio-doença previdenciário por ser, na contemporaneidade, o assunto mais demandado no âmbito dos Juizados Especiais Federais. Visou investigar o ensino por meio de um problema; articular a reflexão sobre uma experiência; e constatar o ensino com a pesquisa. É um estudo exploratório, com aspecto qualitativo; compreendeu os procedimentos bibliográfico e documental, além da utilização do estudo de caso. Percebeu-se que o estudo de caso é preceituado pelas diretrizes pedagógicas para Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (ENFAM) e pelo Projeto Político Pedagógico da Escola da Magistratura Regional Federal da 2ª Região (EMARF). Notou-se que, nesse ensaio, o estudo de caso constituiu uma metodologia adequada para desenvolver as lições referentes ao auxílio-doença, na Prática Educativa da Prática Previdenciária. Teve-se, ao final, que o estudo de caso trabalhou a autonomia cognitiva na construção do saber com ênfase na independência no processo de ensino-aprendizagem, à luz da concepção teórica de Vygotsky.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Pós Graduada em Advocacia Trabalhista pela Universidade Anhanguera. Graduanda em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Referências

BALDANZA, Fernanda; FRIEDE, Reis. Educação em direitos humanos como instrumento de transformação social. Lex Cult Revista do CCJF, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 51-71, 2018. Disponível em: http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/34. Acesso em: 28 abr. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 12 abr. 2020.

BRASIL. O uso de metodologias ativas colaborativas e a formação de competências. [Brasília, DF]: Ministério da Educação, 2020. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/implementacao/praticas/caderno-de-praticas/aprofundamentos/202-o-uso-de-metodologias-ativas-colaborativas-e-a-formacao-de-competencias-2. Acesso em: 12 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8213cons.htm. Acesso em: 12 abr. 2020.

CINTRA, Carlos César Sousa; CAMURÇA, Eulália Emília Pinho; REIS, Ulisses Levy Silvério dos. O uso de novas tecnologias de informação e comunicação nas salas de aula da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará: ferramentas agregadoras ou disruptivas do processo de ensino-aprendizagem? Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFC, Ceará, v. 37, n. 2, p. 405-422, 2017. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/nomos/article/view/31060. Acesso em: 28 mar. 2020.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Justiça em números 2019. Brasília, DF: CNJ, 2019. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/pesquisas-judiciarias/justica-em-numeros/. Acesso em: 11 abr. 2020.

ESCOLA DA MAGISTRATURA REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO. Projeto político pedagógico. Rio de Janeiro, RJ: EMARF, 2016. Disponível em: https://www10.trf2.jus.br/portal/emarf-portaria-institui-projeto-politico-pedagogico/. Acesso em: 28 mar. 2020.

ESCOLA NACIONAL DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE MAGISTRADOS. Diretrizes pedagógicas da ENFAM: para formação e aperfeiçoamento de magistrados. Brasília, DF: ENFAM, 2017. Disponível em: https://bdjur.stj.jus.br/jspui/bitstream/2011/116264/Res_7_Enfam_2017_Diretrizes_Pedagogicas_Enfam%20_Texto_%20Principal.pdf. Acesso em: 28 mar. 2020.

FACHIN, Odilia. Fundamentos de metodologia. São Paulo: Saraiva, 2006.

FRASSON, Antonio Carlos; OLIVEIRA JÚNIOR, Constantino Ribeiro de. Metodologia da pesquisa científica. São Luís: UemaNet, 2010.

LAKOMY, Ana Maria. Teorias cognitivas da aprendizagem. Curitiba: InterSaberes, 2014.

LAZZARI, J. B. Os juizados especiais como instrumento de acesso à justiça e de obtenção de um processo justo. Revista CEJ, Brasília, DF, ano 20, n. 70, p. 29-37, 2016. Disponível em: https://revistacej.cjf.jus.br/revcej/article/view/2164. Acesso em: 14 abr. 2020.

LEAL JÚNIOR, C. A. S. A linguagem, o texto e o juiz. Revista CEJ, Brasília, DF, ano 20, n. 68, p. 89-98, 2016. Disponível em: https://revistacej.cjf.jus.br/revcej/article/view/2057. Acesso em: 14 abr. 2020.

MENEZES, Olindo. Notas sobre o crime de redução a condição análoga à de escravo. Revista do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, [S. l.], v. 31, n. 3, p. 1-5, 2019. Acesso em: https://revista.trf1.jus.br/trf1/article/view/136. Acesso em: 14 abr. 2020.

NOBRE, Isabelle Rocha. Pedagogia dialógica de afeto e libertação: uma reflexão a partir da prática da professora Luana Tolentino. Lex Cult Revista do CCJF, [S. l.], v. 3, n. 3, p. 88-103, 2019. Disponível em: http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/207. Acesso em: 28 abr. 2020.

NOGUEIRA, Makeliny Oliveira Gomes; LEAL, Daniela. Teorias da aprendizagem: um encontro entre os pensamentos filosófico, pedagógico e psicológico. Curitiba: InterSaberes, 2015.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SANTOS, Elaine Cler Alexandre dos; BORGES, Pedro Pereira. Educação: pré-requisito para atuação no processo de mediação. Lex Cult Revista do CCJF, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 50-75, 2019. Disponível em: http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/158. Acesso em: 28 abr. 2020.

SOUSA, Ana Kennya Félix Ribeiro de; SERRA, Ilka Márcia Ribeiro de Sousa. Metodologia da pesquisa e elaboração do trabalho de conclusão de curso. São Luís: UemaNet, 2011.
Publicado
2020-07-01
Como Citar
COSTA, Erica de Sousa. TRABALHADOR RURAL, SIM, “SINHÔ”: estudo de caso no âmbito de uma vara federal do maranhão. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 24, n. 48, p. 194-212, jul. 2020. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/344>. Acesso em: 30 set. 2020. doi: https://doi.org/10.30749/2177-8337.v24n48p194-212.