MESSIANISMO POLÍTICO E TOTALITARISMO DEMOCRÁTICO: UM ESTUDO SOBRE O LEGADO DE JACOB LEIB TALMON PARA A CONSERVAÇÃO DA LIBERDADE

Resumo

Versa o presente artigo sobre o legado de Jacob Leib Talmon a partir do estudo do livro “As origens do totalitarismo democrático”. Publicado inicialmente em 1952, a obra é considerada clássica e fonte dos mais relevantes estudos sobre democracia e totalitarismo, especialmente por destacar as origens do messianismo político no Século XVIII em uma França pré-revolucionária, até o desencadeamento das ideias dos principais ideólogos da Revolução, especialmente Jean-Jacques Rousseau. De forma inovadora quando da sua publicação, a obra objeto do presente estudo revela as advertências de Talmon sobre a utilização de conceitos tipicamente democráticos – tais como vontade, igualdade, racionalidade, virtude cívica, dentre outros – como substrato do totalitarismo, em que o cidadão se viu obrigado a abdicar da individualidade, oposição e senso crítico em prol de um bem comum. Por meio de análise dedutiva e pesquisa bibliográfica, sob enfoque especialmente jus-filosófico, aliado à Teoria da Constituição, objetiva-se averiguar como as ideias totalitárias excluem do debate quem não se submete aos seus parâmetros artificialmente estabelecidos.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.
Publicado
2023-12-01
Como Citar
CAVALCANTE, Rômulo Mourão; MATOS, Deborah Dettmam. MESSIANISMO POLÍTICO E TOTALITARISMO DEMOCRÁTICO: UM ESTUDO SOBRE O LEGADO DE JACOB LEIB TALMON PARA A CONSERVAÇÃO DA LIBERDADE. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 27, n. 59, p. 8-28, dez. 2023. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/740>. Acesso em: 14 abr. 2024. doi: https://doi.org/10.30749/2177-8337.v27n59p8-28.