APONTAMENTOS SOBRE ECONOMIA, DEMOCRACIA E CONSERVADORISMO

  • Carlos Alexandre Barros Trubiliano

Resumo

Intelectuais como D. Harvey (2008), P. Mirowski (2013), P. Dardot e C. Laval (2016) se debruçaram sobre os mais variados casos e tempos das crises do capitalismo. Em comum, é possível notar um padrão de comportamento autodefensivo capitalista quando suas contradições saem do controle e ameaçam a ordem vigente. Os agentes econômicos (mercado) intervêm no Estado para a manutenção do sistema, e não para sanar as graves questões sociais; foi assim na crise de 1929, com o New Deal, ou na crise do subprime, em 2008 – quando o Estado operou transferências de recursos públicos para nichos privados por meio de estímulos à produção e ao consumo. No campo moral, observa-se o recrudescimento do conservadorismo. O ensaio que segue busca refletir sobre a intersecção do conservadorismo, crise econômica e democracia.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.
Publicado
2023-12-04
Como Citar
TRUBILIANO, Carlos Alexandre Barros. APONTAMENTOS SOBRE ECONOMIA, DEMOCRACIA E CONSERVADORISMO. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 27, n. 59, p. 29-43, dez. 2023. ISSN 2177-8337. Disponível em: <http://revistaauditorium.jfrj.jus.br/index.php/revistasjrj/article/view/782>. Acesso em: 14 abr. 2024. doi: https://doi.org/10.30749/2177-8337.v27n59p29-43.